sexta-feira, 7 de março de 2014

Declaração Internacionalista contra a Guerra na Ucrânia

Declaração Internacionalista contra a Guerra na Ucrânia

GUERRA À GUERRA!
NEM UMA SÓ GOTA DE SANGUE PELA “NAÇÃO”!
A luta de poder entre os clãs oligárquicos de Ucrânia ameaça chegar até o conflito armado internacional. O capitalismo russo tenta utilizar a redistribuição de poder do estado Ucraniano para implementar suas já velhas aspirações imperialistas e expansionistas em Crimeia e no este de Ucrânia onde se conta com fortes interesses econômicos, financeiros e políticos.
Sobre o telão de fundo da próxima ronda de iminentes crise econômica da Rússia, o regime está tentando avivar o nacionalismo russo para distrair a atenção dos crescentes problemas socioeconômicos dos trabalhadores: salários e pensões de pobreza, desmantelamento do sistema de saúde disponível, assim como a educação e outros serviços sociais. No estrondo da retórica nacionalista e militante é mais fácil completar a formação de um estado corporativo e autoritário baseado em valores conservadores reacionários e em políticas repressivas.
Na Ucrânia a aguda crise econômica e política tem levado a uma crescente confrontação ente os clãs oligárquicos “velhos” e “novos”, os primeiros dos quais usam inclusive formações ultradireitistas e ultranacionalistas para dar um golpe de estado em Kiev. A elite política da Crimeia e o este de Ucrânia não deseja compartilhar seu poder e suas propriedades com o próximo governante do turno de Kiev e tentam apoiar-se na ajuda do governo russo. Ambas partes recorreram à histeria nacionalista rampante: ucraniana e russa respectivamente. Tem choques armados, derramamentos de sangue. Os poderes ocidentais têm seus próprios interesses e aspirações e suas intervenções no conflito podiam levar-nos a uma terceira Guerra Mundial. Os grupos beligerantes dos chefes forçam, como de costume, a luta pelos seus interesses; nós, as pessoas comuns: trabalhadores assalariados, desempregados, estudantes, pensionistas...convertendo-nos em viciados à droga nacionalista, nos lançam uns contra os outros nos fazendo esquecer nossas necessidades e interesses reais: não nos importa nem pode nos importar suas “nações” nas que agora nos vemos preocupados pelos problemas mais vitais e urgentes- como ganhar-se a vida se enfrenta com o sistema que eles fundaram para nos escravizar e nos oprimir.
Não sucumbiremos à intoxicação nacionalista. Vão para o inferno com seu Estado e suas “nações”, suas bandeiras e seus gabinetes!! Esta não é nossa guerra e não devemos participar dela pagando com nosso sangue seus palácios, suas contas bancárias e o prazer de sentar-se nas cadeiras das autoridades. E se os chefes de Moscou, Kiev. Lviv, Kharkiv, Donetsk e Simferopol começam esta guerra, nosso dever é resistir-nos a ele por todos os meios disponíveis!!
NEM GUERRA ENTRE “POVOS” NEM PAZ ENTRE CLASSES!
KRAS, Seção Russa da Associação Internacional dos Trabalhadores

Nesta declaração se uniu:
Aliança da Solidariedade Obreira (América do Norte)
Internacionalistas de EE.UU.
Iniciativa Anarco-Sindicalista de Romênia
Os libertários de Barcelona
A esquerda comunista dos internacionalistas de Equador, Peru, República Dominicana, México, Uruguai e Venezuela
Iniciativa Comunista-Obreira (França)
Grupo de Leicéster de Federação Anarquista (Grã Bretanha)
 
(recebido por e-mail)

Nenhum comentário:

Postar um comentário