terça-feira, 7 de janeiro de 2014

E-mail recebido (1)

Olá Rui.

Gostaria de elogiar a última série de 4 vídeos q vc fez. Achei que ficaram realmente ótimos. Muita gente me pergunta o que é a Somaiê e eu sempre falo das bases da Bioenergética, Antipsiquiatria, Gestalt, Anarquismo, Capoeira Angola e Biologia do Conhecer ... daí, sempre as pessoas ficam positivamente espantadas, mas ao mesmo tempo um pouco confusas em como todas essas ideias se misturam na prática.

E esses 4 vídeos são um ótimo material para quem quiser se dispor a entender. Ou então, para quem quiser ir direto ao assunto, o vídeo 3 fala diretamente do cerne do tema.

Realmente achei foda.

Aliás, gostaria de fazer uma SUGESTÃO de um pequeno ajuste no que tange ao conceito que o Maturana faz sobre o AMAR. Nos textos e vídeos que já vi do Maturana, ele enfatiza não sobre o amormas sim sobre o AMAR

Maturana fala que o que o interessa não é o AMOR, mas sim o AMARpois amar é um verbo intransitivo, é um suceder espontâneo, um FAZER concreto - significa ver o outro sem tentar impor nossas expectativas, exigências e preconceitos, aceitando esse outro como legítimo outro na convivência (como vc bem falou no vídeo).

Já o AMOR é um substantivo abstrato, que depende da definição de cada um. É relativo aos critérios e perspectivas de cada um. Depende da interpretação da "realidade" que cada OBSERVADOR faz. 

Buscar compreender o "AMOR" significa uma busca pelo SER "transcendente", descolado do observador, e Maturana, pelo entendimento científico da Biologia do Conhecer, não busca esse SER (que remeteria a uma possível "Verdade Única e Absoluta", mas que continuaria relativa ao observador, portanto subjetiva), mas sim o melhor FAZER (o fazer Ético), que é prático, que é uma ocorrência imanente, encarnado à experiência neurofisiológica e vivencial do observador em contato com as pessoas e o mundo ao seu redor.

Por isso, a minha sugestão é de que ao invés de se falar em Pedagogia do AMOR, talvez possa ser dito Pedagogia do AMAR. Onde se fala de Biologia do AMOR, o termo mais preciso seria Biologia do AMAR.

São pequenos detalhes (na verdade trata-se de uma letra só, rsrsr), mas que implicam em sérias diferenças na vivência e entendimento dos conceitos. 

Vi que em momentos do vídeo e de outros textos mais antigos as vezes vc fala AMOR e as vezes vc fala AMAR, e por isso achei que seria interessante fazer essa OBSERVAÇÃO.

Abraço!
Witt
(os vídeos que ele se refere podem ser vistos aqui - http://teoriaesomaie.blogspot.com.br/2013/12/somaie-pedagogia-do-observar-em-4-videos.html)

Nenhum comentário:

Postar um comentário